Postagem em destaque

Lex Luthor e o que eu seria sem Jesus.

Por Nilson Pereira.  Primeiramente quero deixar claro que este texto é destinado a cristãos bíblicos e maduros que entend...

Nilson (Nil) Pereira

Nilson (Nil) Pereira
Um Discípulo que vive para ser Bíblico e Missional, Pastor da Família, Professor e Escritor Amador.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Devocional IPCarioca 10/04/2018 Permanecendo na Palavra (João 8:31-32; João 15; 2 Coríntios 3:1-4)

A Bíblia é um livro particular na História. Ela é a única leitura viva, orgânica e auto-aplicável que existe. Cristo é Sua Palavra, de modo que o conteúdo no qual as Escrituras relatam são o próprio Senhor. Somente os que permanecem Nele são os que realmente são Dele. Parece uma afirmação óbvia,mas sempre válida e digna de ser evidenciada. Por muitos séculos existem os que dizem pertencer a Ele, mas não o fazem de forma integral, não estão Nele e na Sua Palavra. Infelizmente estes fazem muito barulho e por isso estigmatizam muitas vezes a Cristandade. Poderíamos citar vários exemplos históricos aqui, mas certamente você, caro leitor, já lembrou de vários.
É muito importante nosso papel de embaixadores do Reino de Deus na Terra, de modo que, muitas vezes é o nosso comportamento que o Espírito Santo usa para evangelizar pessoas, alinhado a Sua Palavra que provavelmente já vem sendo plantada no coração dos que estão para se converter a Jesus (pois acredito que a conversão é um processo, conforme o Senhor explica na Parábola do Semeador em Mateus 13).
Quando nos convertemos a Jesus ser pecador não nos define mais (muitos irmãos usam, lamentavelmente, o rótulo de pecador para tentar se defender por trás deste), mas a nossa realidade diante do Senhor não é mais esta, seguiremos pecando, porque não fomos totalmente redimidos ainda, isto acontecerá quando Jesus voltar e nos buscar, mas somos os redimidos do Altíssimo, os ramos da Videira que é Cristo Jesus, o Rei, Senhor, Salvador e Redentor de nós, escolhidos de Deus desde antes da fundação do mundo.
Precisamos nos livrar desta falsa narrativa (segundo James Bryan Smith chama no livro ''O Maravilhoso e Bom Deus'') de que ser pecador nos define, porque isto não nos pertence mais, ainda que vamos lutar contra o pecado até a volta do Senhor, somos discípulos de Jesus, temos a obrigação de permanecer Nele, esta é nossa nova natureza, nossa tendência e estilo de vida. O Espírito Santo habita em nós para assegurar, dentre outras coisas, que estamos Nele e Ele em nós. Sejamos a Carta Viva dos apóstolos de Cristo, Filhos de Deus nesta Terra, discípulos bíblicos do Senhor, mesmo imperfeitos, representamos o Reino de Deus, nas nossas Casas, Igrejas, empregos, sociedades, e nada pode ser mais sério do que isto na vida daqueles no qual Jesus redimiu com Seu próprio sangue.
Por Nilson Pereira

0 comentários:

Postar um comentário

Missionalidade:

Missionalidade:

Mapa Mundi.

Mapa Mundi.