Postagem em destaque

Lex Luthor e o que eu seria sem Jesus.

Por Nilson Pereira.  Primeiramente quero deixar claro que este texto é destinado a cristãos bíblicos e maduros que entend...

Nilson (Nil) Pereira

Nilson (Nil) Pereira
Um Discípulo que vive para ser Bíblico e Missional, Pastor da Família, Professor e Escritor Amador.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Devocional IPCarioca 03/04/2018 Diga-me com quem andas... (Salmo 1)

A vida humana é caracterizada por idas e vindas, pessoas vão e saem das nossas vidas com frequência. Alguns vivem isto mais corriqueiramente, outros nem tanto, mas de certo é, existem pessoas que não permanecem. Nem sempre por desempenhar um papel ruim, as vezes pessoas surgem como Melquisedeque apareceu a Abraão (Gênesis 14:18-20; Hebreus 5:6-11) com o papel de nos aproximar de Deus naquele momento, outras saem simplesmente porque Deus não as quer no nosso caminho, para não atrapalhar o fluir do Evangelho em nós.
De certo é, Deus regula estas aproximações e afastamentos na vida de um cristão, de modo que não precisamos nos preocupar com isto, e sim com que o somos Nele para os nossos próximos, ainda que estes não cumpram isso conosco, esta é a conduta bíblica. O Salmo primeiro fala de não se assentar nas rodas dos escarnecedores, e é bem comum na vida, sobretudo na conduta dos neófitos, termos pessoas que podem ser estereotipadas neste quadro, de escarnecedores em nossas vidas, pessoas que atrapalham nossa vida cristã e que precisam ser extirpadas do nosso convívio.
O Evangelho requer de nós uma conduta missional o tempo todo, se há não cristãos em nosso convívio é muitas vezes intencional da parte do Espírito Santo, para que possamos fazer valer a Luz do Evangelho sobre elas através das nossas vidas, discursos e condutas, mas existem aqueles que de alguma forma exercem influencias sobre nós (muitas vezes até mesmo convertidos e não apenas não cristãos) de forma negativa, e por isso precisam ser afastadas. Este é um momento ruim, difícil, de ruptura, mas Deus conduz os discípulos de Jesus nisto, fazendo com que o Espírito Santo fale por eles. Nunca é fácil, mas não pode ser uma decisão meramente humana, fruto de um razão passional, e sim fruto de uma vida devocional (o que temos dito com frequência aqui na Igreja Presbiteriana Carioca ser vital a vida do crente) onde Deus faz este mover na vida de Seus filhos.
Termino com uma frase de A. W. Tozer, conhecido teólogo do Século 20: ''Algumas amizades não podem ser mantidas se você quiser ser um cristão''. Uma frase real e necessária. Que o Senhor Deus nos dê Sabedoria, a que o presbítero Tiago diz em sua Carta Canônica ser fruto da Graça (Tiago 1:5), para nos guiar e nos tornar mais semelhantes a Jesus, e quem caminha conosco tem um papel fundamental neste processo. Lembrando, o princípio da Sabedoria é o temor do Senhor (Provérbios 9:10).
Por Nilson Pereira

0 comentários:

Postar um comentário

Missionalidade:

Missionalidade:

Mapa Mundi.

Mapa Mundi.