Postagem em destaque

Lex Luthor e o que eu seria sem Jesus.

Por Nilson Pereira.  Primeiramente quero deixar claro que este texto é destinado a cristãos bíblicos e maduros que entend...

Nilson (Nil) Pereira

Nilson (Nil) Pereira
Um Discípulo que vive para ser Bíblico e Missional, Pastor da Família, Professor e Escritor Amador.

sábado, 3 de março de 2018

Devocional IPCarioca 07/02/2018 Deus nos criou para andarmos juntos (Gênesis 2:18a)

Este texto é frequentemente usado para falar sobre a mais importante instituição social criada por Deus: o Casamento. E de fato ele é sobre a mais importante interação social que uma pessoa pode ter, porém, é também uma semente de todas as outras formas de relação entre humanos (não considerando Deus em relação conosco), pois todas as outras partem dela, uma vez que, foi através de uma Família, ou de uma relação entre um homem e uma mulher.
As Escrituras apontam para uma razão única da existência de nós seres humanos, a saber, como diz o primeiro ponto do Catecismo contido da Confissão de Fé de Westminster (que como Igreja Presbiteriana subscrevemos), o fim supremo e principal do homem é glorificar a Deus e gozá-Lo para sempre (Romanos 11;36; 1 Coríntios 10:31; Salmo 73:24-26; João 17:22-24), e isto denota profunda relação com o Senhor, ou seja, fomos criados para nos relacionar com Deus num relacionamento vertical. Neste texto base escolhido de hoje, percebemos que, mesmo quando Adão vivia em plena comunhão com o Senhor, Deus viu que não era bom que ele vivesse só, cria então Eva, e deles uma Família, dela Israel, de Israel Cristo e de Cristo a Igreja, ou seja, tudo o que existe de mais belo e precioso na humanidade parte do relacionamento.
Nem você, nem eu, fomos criados para vivermos sozinhos, fomos criados para sermos literalmente pastoreados por Deus (uma vez que não é atoa que a maior comparação contida na Escritura é de nós como ovelhas, e Deus como pastor, pois a ovelha é o animal mais dependente do homem que existe, não possui uma audição boa, nem uma visão, muito menos um olfato, portanto não sobrevive muito tempo sem um homem a pastoreando) e também para nos relacionar uns com os outros, com nossos cônjuges, familiares, irmãos em Cristo e demais seres humanos. Esta é a maior missão do povo de Deus, se relacionar com Ele e com o próximo, e relembrando Lutero novamente aqui, quanto mais próximo, mais cristão e amoroso devemos ser. Por mais que doa se relacionar, como diz Provérbios 27:17, é ferro afiando ferro, é necessário e saudável. Vamos nos decepcionar, talvez ser traídos, humilhados, ou coisas do tipo, mas só vivemos o Evangelho de fato quando a Palavra de Deus vive nos nossos relacionamentos, uma vez que a Bíblia é o livro prático, seguimos um Messias que é o Verbo Vivo, a Escritura que tornou-se Viva, e ninguém mais do que Ele sofreu se relacionando, afinal, trata-se do Deus Encarnado.
Como cristãos, precisamos ir de contra-mão com o mundo, amar as pessoas e usar as coisas, afinal de contas a única coisa que vamos levar deste mundo para o outro é nossa comunhão com o Senhor e com as pessoas. Nada é mais belo, amoroso, apaixonante do que adorar a Deus, ser casado com um homem/mulher que O sirva, criar crianças, ser amigo de alguém, ser útil em comunidade, se relacionar. Mesmo os ímpios podem perceber que o melhor da vida está na relação, quanto mais nós, que professamos a Fé no Deus que as criou e as valorizou ao extremo. Se relacionar não é uma opção, é a missão maior daqueles que são filhos de Deus, discípulos de Jesus e cidadãos da Nova Jerusalém peregrinando neste mundo.
Por Nilson Pereira

0 comentários:

Postar um comentário

Missionalidade:

Missionalidade:

Mapa Mundi.

Mapa Mundi.