Postagem em destaque

Lex Luthor e o que eu seria sem Jesus.

Por Nilson Pereira.  Primeiramente quero deixar claro que este texto é destinado a cristãos bíblicos e maduros que entend...

Nilson (Nil) Pereira

Nilson (Nil) Pereira
Um Discípulo de Cristo que vive para ser Bíblico. Mateus 28:16-20

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Devocional IPCarioca - 13/12/2017 O Deus fiel e digno de confiança, apesar de nós (Isaías 54:10)

Apesar de se referir a Israel do Antigo Testamento, este texto nos apresenta uma faceta única do Deus que servimos, um Deus que é imútavel e que leva a sério tudo o que declara, um Deus cujo as características não são oscilantes como as nossas, ao contrário, são firmes e indisolúveis.
Neste texto, Deus está prometendo aos escolhidos dentro do povo de Israel que, mesmo que estruturas naturais que representam para nós total segurança empírica (somos seres sensoriais cujo qualquer tipo de abalo sísmico ao nosso redor é capaz de nos trazer profundo pavor) sejam abaladas ou destruídas, a Fidelidade e a Aliança de Paz estabelecida entre o Senhor e eles nem se quer abalaria.
Sem dúvidas, estas são palavras dignas de confiança. No terceiro capítulo do livro ''O maravilhoso e bom Deus'' o autor James Bryan Smith declara, trazendo exemplos bíblicos e cotidianos, o quanto Deus é digno de confiança, fala de falsas narrativas em relação a confiar, e declara abertamente: ou confiamos totalmente, ou não confiamos.
Tudo na vida cristã é um hábito, e confiar em Deus também é. Paremos e pensamos em toda a trajetória da nossa vida, sem romanceá-la, de forma racional, não é fato que mesmo os piores momentos depois de tornarmos discípulos de Jesus passaram a ser coisas boas, que nos fizeram crescer ainda mais como seres humanos depois? Em algum momento Deus realmente nos deixou sozinhos em alguma coisa?
Certamente, se você é um cristão maduro, as respostas te levaram a confiar de corpo e alma no Senhor, o único digno de confiança, Aquele que é o único motivo que nos garante em tudo o que amamos e fizermos, seja Casamento, seja Igreja, seja Carreira, seja o que for, se foi Deus quem realmente nos pôs, será algo com as características Dele, porque passa a ser Missão, não apenas acontecimentos: imútaveis, transformadoras, pedagógicas e indestrutíveis.
O reformador João Calvino dizia que tudo o que ele quis por em suas mãos, perdeu, mas tudo o que ele, por amor, pôs nas mãos de Deus, durou para sempre. Confiemos no Senhor verdadeiramente, e não mais em nós, pois Ele é sem dúvidas o único ser digno de total e completa confiança. Sem Ele, nem se quer respiraríamos, o resto é simplesmente resto. Que possamso abandonar tudo o que Ele não nos pôs, e nos deleitar Nele em tudo o que Ele escolheu para nossas vidas. Deus é bom, e é digno de confiança.
Por Nilson Pereira

0 comentários:

Postar um comentário

Missionalidade:

Missionalidade:

Mapa Mundi

Mapa Mundi