Postagem em destaque

Lex Luthor e o que eu seria sem Jesus.

Por Nilson Pereira.  Primeiramente quero deixar claro que este texto é destinado a cristãos bíblicos e maduros que entend...

.

.

.

.

.

Nilson de O. P. Pereira

Nilson de O. P. Pereira
Um Cristão vivendo para ser Bíblico, Missional, Pastor de Família e Professor Reformado nas Relações.

Verdadeiro Cristianismo:

Verdadeiro Cristianismo:

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Uma visão Cristocêntrica sobre a guerra entre cristãos e homossexuais.




Por Nilson Pereira.


Sei o quanto é necessário ter responsabilidade por ser chamado de ‘’cristão’’, termo este que surgiu na Antiguidade, mais especificamente na cidade grega de Antioquia, conforme conta o livro canônico de Atos. Sei também o quanto este termo foi relativizado, o quanto foi depreciado, o quanto qualquer um hoje em dia, infelizmente, só por dizer a palavra ‘’Cristo’’ é geralmente rotulado de cristão. Porém, Cristo pertence a Bíblia. Ele é um personagem (no sentido literal, não no sentido ficcional) totalmente oriundo das Escrituras, por mais que o mundo pós-moderno tente o tornar universal, é bem claro no livro sagrado judaico-cristão que Jesus é da Bíblia, e a Bíblia é dos cristãos, que em sua essência, significa ‘’os pequenos Cristos’’.
Posto isso, gostaria de comentar sobre os eventos ocorridos na última Parada LGBT ocorrida em São Paulo, assim como vídeos de humor, que em nome do humor, pensam que podem fazer o que quiser, como o vídeo do canal do Youtube ‘’Porta dos Fundos’’ que satirizam os eventos do nascimento de Jesus, no último Natal (vejam bem, disse que satirizam JESUS, não pastores ou denominações evangélicas, pois este fato não deveria mesmo ofender os cristãos, e sim fazer refletir). Numa nação cujos valores democráticos são (ou deveriam ser) o seu cerne central, onde todos os direitos estão assegurados pelo artigo quinto da Constituição Federal, tanto a Bíblia, quanto Jesus Cristo devem ser respeitados, pois usá-los como forma alegórica para qualquer outro grupo social que não seja os cristãos, aqueles que professam Cristo como seu Senhor e Salvador, aqueles que creem na Bíblia TODA como sua ÚNICA regra de fé e prática, é sim uma afronta, e uma transgressão legal ao artigo quinto da Constituição. Não é necessário ser acadêmico em Direito para perceber isso, basta ter bom senso e boa fé.  



Da mesma forma, sei que os cristãos erram, e muito, em relação aos homossexuais, por diversas vezes vejo cristãos misturarem o discurso bíblico com homofobia, e o mais triste disso tudo, em nome de uma pseudo ‘’defesa da fé cristã’’. A Bíblia em momento nenhum prega que os homossexuais são nossos inimigos, nem eles, nem nenhum outro tipo de ser humano, assim como está escrito em Efésios capítulo 6:12.
Não acredito também que o cristão deve ser uma espécie de versão humana de um ‘’ursinho carinhoso’’ (série animada estadunidense antiga que fez sucesso no Brasil na década de 1990), não estou falando de dar as mãos, ser conivente com nada, e sim de um valor que as Escrituras consideram em um altíssimo patamar: o respeito. Respeito este de acordo com Mateus 10:16, um dos meus textos preferidos na Bíblia(vale a leitura do capítulo inteiro, inclusive, pois é um guia do discípulo), um texto que diz muito mais do que o óbvio:
‘’ Eu os estou enviando como ovelhas entre lobos. Portanto, sejam prudentes como as serpentes e simples como as pombas.’’



Ser cristão é muito mais do que você, é Cristo. Quando você aceita tal título (sim, é um título no qual você mesmo não deveria se apoderar, não deveria se autodenominar, pois desde o seu gênesis foram terceiros a sacramenta-lo na vida de homens que serviram ao Altíssimo), é o nome de Cristo que as pessoas verem, independente de quem seja, onde seja, sempre foi, e sempre será assim. Portanto, tome cuidado no seu discurso, texto ou qualquer outro meio de se expressar, pois quando você usa a mente para expor o que pensa, é Cristo que será ‘’julgado’’ por quem ouvir/ler, não apenas você. O Evangelho não tem nada a ver com sua homofobia, oriunda sabe lá Deus por qual experiência já tiveste, assim como também não deve nunca ser adaptado a luta aos direitos civis homossexuais, simplesmente porque o Evangelho é o Evangelho, simplesmente porque o apóstolo João avisou o que aconteceria com quem tentasse acrescentar qualquer coisa, ou retirar em Apocalipse 22, simplesmente porque o artigo quinto da Constituição assegura o direito ao respeito a fé cristã, e a tudo que a simboliza, assim como garante também, o direito de um cidadão ser homossexual.

Eu, pessoalmente, não vejo nada de surpreendente ao ver o movimento LGBT, e outros, tentando ter mais participação social, tentando adquirir direitos civis, ainda digo mais, é algo natural, inevitável, e que mais cedo ou mais tarde iria acontecer. O estado onde vivemos é laico, não é cristão, não é gay, é simplesmente laico, deve, ou deveria, adquirir o direito de um cidadão no qual nele vive, possa crer no que quiser e conduzir sua vida da forma que lhe aprouver, desde que isto seja legal, desde que isso não fira direitos básicos garantidos por lei. E nem estou dizendo nada disso como historiador (portanto, um eterno estudante de Ciências Sociais) que sou, e sim como cristão, como alguém que entende um pouco de Bíblia.

Quer aprender como um cristão deve se comportar numa sociedade não cristã? Leia Romanos 13, leia o livro de Daniel, leia Atos, mas não venha pregar você mesmo, ninguém se interessa por isso, pregue a Bíblia, e só prega quem a lê, quem medita no que lê Nela, quem raciocina e ora nisto. Seus valores devem ser o máximo possível biblicamente genuínos, o quanto mais você retirar do seu discurso você, mas perto de um verdadeiro cristão está. Se espera de um ímpio impiedades, mas de um cristão, se EXIGE piedade


.
Para mim, ver um transexual vestido de Cristo, é sim uma afronta ao Cristianismo, ver um projeto de lei que tenta obrigar pastores e padres a sacramentar a união homo afetiva em igrejas, no contexto religioso, é sim uma violação aos direitos civis cristãos através da transgressão ao artigo quinto tão citado aqui neste texto, afinal, tal ato vai contra o que cremos, ir contra isso sim, é defender a fé, combater o bom combate. Agora, ver homossexuais lutarem por direitos civis e agir como se isso fosse uma afronta direta a nós cristãos, não é defender a fé, é algo que não deveria ser surpresa alguma para quem ler a Bíblia, afinal, este tipo de coisa está previsto lá a exaustão. 



Homossexuais são tão cidadãos quanto um cristão, que está lendo este texto. Pagam impostos, contribuem a sociedade, cometem crimes, e qualquer outra ação que um cidadão pode cometer numa sociedade civil, seja bom, ou mau, tem sim o direito de tentar conseguir direitos civis, porém, há um limite para isso também, os mesmos devem lutar pelo seus direitos sem entrar no espaço alheio, pois em um estado laico a religião não é submissa pelo menos, ela é protegida, não como cerne principal, mas sim como um dos elementos que o compõe. 



O que falta nisto tudo, além de bom senso, é respeito. Parafraseando uma gíria carioca, porque cada um não vive no seu quadrado, ao invés de tentar invadir o quadrado do outro? Nós ficamos com a Bíblia, a Igreja, e com Cristo, e eles como todos os direitos que um cidadão merece ter dentro de um estado laico e democrático de direito. Me soa muito simples, uma pena que não para todos.

Sola Scriptura!

Sola Scriptura!