Postagem em destaque

Lex Luthor e o que eu seria sem Jesus.

Por Nilson Pereira.  Primeiramente quero deixar claro que este texto é destinado a cristãos bíblicos e maduros que entend...

.

.

.

.

.

Nilson (Nil) Pereira

Nilson (Nil) Pereira
Um Discípulo Professor vivendo para ser Bíblico e Missional, Pastor de Família e Escritor Amador.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Texto de agradecimento nerdiano!


Por Nilson Pereira.

Minha mãe diz que comecei a ler com um pouco mais de um ano de idade. E de lá para cá, esta paixão, complementada por escrever, foi sempre uma das raras características sequenciais em minha vida.

Ler e escrever são bem mais que atividades para mim, são meu estilo de vida.

 Costumo dizer que quase não tenho dons, mas os que tenho dou maior valor, por isso, ler e escrever são atributos definitivos na minha vida, que me caracterizam acima de tudo, sempre e para sempre.

Amo livros, amo revistas, amo HQs. E estas últimas, devo totalmente grande parte do que sou. As HQs, seja Marvel, Vertigo e DC, seja a Turma da Mônica, seja  mitologias, seja quais forem, foram e são uma espécie de motor no meu processo de leitura. Cresci lendo as sagas dos X-Men, do Batman, da Liga da Justiça ou dos Vingadores, as HQs foram determinantes para me incentivar a ler, ler, ler e sempre ler.

Por isso preciso agradecer a Deus por homens que, embora ímpios, interferiram indiretamente no meu crescimento pessoal. Como  Alan Moore, Neil Gaiman, Frank Miller, Chris Claremont, John Byrne, Mark Millar, Stan Lee e Jack Kirby, Bob Kane, dentre tantos outros. Homens que podem não crer no mesmo Deus que eu, mas que fazem entender melhor o princípio bíblico da gratidão. Se não fosse a mente destes caras que criaram universos fantásticos que me espelham muitas vezes, que espelham a humanidade sempre, eu não seria tão eu.

Obrigado Marvel, DC, Vertigo, Abril, Panini e cia. Obrigado por me ajudarem no meu crescimento.


quinta-feira, 10 de julho de 2014

Desabafo!

Por Nilson Pereira.

Quem dera chorássemos assim pelos nossos pecados.'' Via Os calvinistas

Quem dera chorássemos assim pelos milhares de inocentes que morrem todos dias neste país.

 Quem dera chorássemos assim por conta dos milhares de brasileiros que não tem luz, saneamento básico, comida, estudo, dignidade.

 Quem dera chorássemos assim por conta dos bilhões desviados que deveriam ser investidos em Educação, Saúde. 
Quem dera chorássemos assim quando cada rico poderoso deste país fosse isento de pagar seus crimes na justiça. 

Quem dera...

Não há com o que se surprender, e sim a se lamentar.



Por Nilson Pereira.

Sou um fã de futebol, além de historiador. Assisto os principais campeonatos pelo mundo com frequência, e tenho muitos amigos que assistem de igual forma.

 Sou um dos moderadores de uma famosa comunidade do facebook chamada LET (Libertadores Eu Tenho), onde frequentemente conversamos e debatemos sobre futebol e outros assuntos relacionados, e por tudo que vemos todos os anos, por tudo o que contemplamos nas ligas europeias sobretudo, não há surpresa alguma da seleção brasileira, totalmente dominada pela CBF, não chegar a final da Copa de 2014, que é realizada aqui, sobretudo porque enfrentou no caminho o melhor time do mundo, não só hoje, mas de uns 3 anos para cá, atualmente no que se refere a seleções: a Alemanha.

O placar de 7 a 1 em favor dos alemães sim, é surpreendente, mas a vitória fácil dos mesmos nem de longe o é. Além de se preparar com ações de marketing (veja a imagem acima), mantendo o treinador Joaquim Low, mesmo depois do fracasso na Copa da África em 2010, investindo nos jogadores, criando uma base de entrosamento, o atual bicampeão alemão e campeão da UCL 12\13, Bayern de Munique, e discursando e agindo, desde o início, que o título que eles almejavam de fato é o da Copa no Brasil, esta, a Copa na nossa terra. O discurso alemão nunca foi demagogo, fruto de fracasso ou algo do tipo,  sempre foi coerente, sempre foi o mesmo, sempre foi almejando 2014. 

A Liga alemã é hoje a maior do planeta, junto com a Premier League inglesa, com a maior média de público do mundo, maior médias de gols e maior audiência, um sucesso histórico, administrativo, publicitário e esportivo. O futebol lá é profissional, e entretenimento sim, mas não é brincadeira. 

Não, a goleada da última terça não foi novidade alguma para quem ama e acompanha futebol de verdade, o maior fracasso da História do futebol brasileiro não aconteceu nos 7 a 1 da Alemanha em cima do Brasil no Mineirão, o segundo estádio mais importante da História do Brasil, a goleada começou muito antes. Não e de hoje que a Alemanha já tomou do Brasil o título de verdadeiro país do futebol, conforme diz o jornalista Juca Kfouri (http://blogdojuca.uol.com.br/2014/02/pais-do-futebol-2/). 

Se compararmos o futebol alemão com o que a CBF faz aqui no nosso futebol, dá até pena. Eu indico que você, cara amigo leitor, pesquise, sobretudo nos links do canal ESPN Brasil sobre o tema. Há anos a CBF mata aos poucos o futebol no Brasil, agora, ela está matando o futebol do Brasil. E o motivo da surpresa de muitos, é o mesmo que faz com que o Congresso Nacional dominar tudo neste país, o descaso do brasileiro com o que há de mais importante em uma sociedade : a Política. Enquanto for assim, o Brasil nunca vai para a frente, em tudo, inclusive no futebol.








Verdadeiro Cristianismo:

Verdadeiro Cristianismo: