Postagem em destaque

Lex Luthor e o que eu seria sem Jesus.

Por Nilson Pereira.  Primeiramente quero deixar claro que este texto é destinado a cristãos bíblicos e maduros que entend...

Nilson (Nil) Pereira

Nilson (Nil) Pereira
Um Discípulo que vive para ser Bíblico e Missional, Pastor da Família, Professor e Escritor Amador.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Para todos os cristãos refletirem. O papel social da Igreja.




'' E, voltando-se para os discípulos, disse-lhes em particular: Bem-aventurados os olhos que vêem o que vós vedes. Pois vos digo que muitos profetas e reis desejaram ver o que vós vedes, e não o viram; e ouvir o que ouvis, e não o ouviram. E eis que se levantou um certo doutor da lei, tentando-o, e dizendo: Mestre, que farei para herdar a vida eterna? E ele lhe disse: Que está escrito na lei? Como lês? E, respondendo ele, disse: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo. E disse-lhe: Respondeste bem; faze isso, e viverás. Ele, porém, querendo justificar-se a si mesmo, disse a Jesus: E quem é o meu próximo? E, respondendo Jesus, disse: Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos dos salteadores, os quais o despojaram, e espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto. E, ocasionalmente descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e, vendo-o, passou de largo. E de igual modo também um levita, chegando àquele lugar, e, vendo-o, passou de largo. Mas um samaritano, que ia de viagem, chegou ao pé dele e, vendo-o, moveu-se de íntima compaixão; E, aproximando-se, atou-lhe as feridas, deitando-lhes azeite e vinho; e, pondo-o sobre a sua cavalgadura, levou-o para uma estalagem, e cuidou dele; E, partindo no outro dia, tirou dois dinheiros, e deu-os ao hospedeiro, e disse-lhe: Cuida dele; e tudo o que de mais gastares eu to pagarei quando voltar. Qual, pois, destes três te parece que foi o próximo daquele que caiu nas mãos dos salteadores? E ele disse: O que usou de misericórdia para com ele. Disse, pois, Jesus: Vai, e faze da mesma maneira.'' Lucas 10:23-37


Por Nilson Pereira. 



Desta vez o artigo será bem curto e direto.  Minha intenção é apenas refletir e fazer com que você leitor, reflita junto. 

Historiadores, téologos e filósofos são quase unânimes no que discerne aos três  pressupostos básicos em relação a criação da Igreja cristã: 


*  Anunciar o Evangelho;



*  Servir socialmente o mundo;



* Adorar a Deus; 


Será que temos feito pelo menos um destes três  propósitos?  Sem os três, indissoluvelmente, indiscutivelmente, inegociavelmente, não somos Igreja (assim com várias outras ao redor da História não foram, pelo menos dentro da ideal do Criador), somos uma organização social passiva, um clube, um lugar para discutir ideias, lugar com música boa (e mesmo assim nem sempre). 


Ontem eu assisti a  uma entrevista no programa do Jô, tratava-se de  um dentista que, junto com sua equipe, realiza um trabalho de recuperação de dentes em pessoas que os perderam, sejam adolescentes pobres, sejam mulheres que foram espancadas pelo marido.
sensacional ver as fotografias das pessoas no estilo ''antes e depois'', contemplando a beleza de ver uma vida restaurada, de alguma forma.

Deus tem me dito algumas coisas, desde a hora que assisti o programa até agora. Me disse que este tipo de trabalho é o que Ele almeja para um cristão que passa anos numa Universidade, porém, a maioria vira as costas para Ele depois que consegue um diploma acadêmico, ao invés de ser ainda mais  ativos no Reino, usando uma das maiores ferramentas que um ser humano pode ter para realizar qualquer tarefa: seu conhecimento refinado e acadêmico. Então os que não são cristãos, os ''perdidos'', acabam realizando tal tarefa. Agradando mais ao Altíssimo do que seus próprios filhos. 


Uma das maiores mentiras já divulgadas na História humana é que o Estado laico é um Estado neutro. Estado laico não é neutro, é gnóstico, é materialista, é ateu. O que nada tem haver com Democracia. O Estado deve sim ser laico dentro da minha cosmovisão, porém, igreja e política devem sim ser parceiras, uma completa a outra, são similares. 

De que vale toda a historiografia, de que vale toda a teologia, de que vale qualquer curso acadêmico que seja, de que vale todo o conhecimento se não for para, dentre outras coisas, tentar diminuir todas as injustiças sociais no qual somos submetidos todos os dias ao acordar? Não consigo entender quem retem conhecimento sobre Deus ou sobre a humanidade somente para si.

Kardecistas, umbandistas e outros fazem trabalhos sociais muito mais frequente e de maior sucesso que nós. Testemunhas de Jeová e mórmons são mais missionários do que nós. Muçulmanos são infinitamente mais devotos e seguidores de sua doutrina do que nós.

Que igreja temos sido? Se não pregamos o Evangelho direito, nem servimos socialmente o mundo, e consequentemente não adoramos ao Deus que dizemos ser nosso? 

Não estamos cumprindo nossos três propósitos de existência básicos. Motivo de choro e vergonha. Triste saber que a maioria dos cristãos não está nem aí, não lerá este artigo e os de outros solitários mestres e profetas cristãos que tratam de tal assunto. 

O que importa é uma Teologia que traz prosperidade, uma profissão que traz prosperidade, uma adoração a prosperidade. 


 Não se trata de ser um  texto produzido por mim ou não, mas sim de uma urgente reflexão e  ação sobre o tema. Jesus está voltando e a Igreja está em coma, os falsos evangelhos pregados por aí nos fazem pensar que está tudo bem, mas está longe de estar de fato. A situação da Igreja e do mundo são críticas. 

 Para Deus, segundo o versículo que postei no início deste artigo, mas vale um pseudo não religioso ativo do que um religioso passivo, cego, e seguidor de sua própria Teologia. 

Parafraseando o grande Martin Luther King Jr.:

'' O que me assusta não é o barulho dos ímpios, mas sim o silêncio dos justos.'' 

Que Deus tenha misericórdia de nós, que perdoe nossa omissão. 


''Não se requer de um líder cristão apenas cultura, mas também inabalável fidelidade pela sã doutrina, ao ponto de jamais se afastar dela.'' João Calvino



''Todo cristão ou é um missionário ou é um impostor.'' C.H. Spurgeon


“Não são os grandes homens que transformam o mundo, mas sim os fracos e pequenos nas mãos de um grande Deus.” Hudson Taylor

Referências bibliográficas: 

STOTT, John. A missão cristã no mundo moderno. Viçosa: Ultimato, 2010. 







0 comentários:

Postar um comentário

Missionalidade:

Missionalidade:

Mapa Mundi.

Mapa Mundi.