Postagem em destaque

Lex Luthor e o que eu seria sem Jesus.

Por Nilson Pereira.  Primeiramente quero deixar claro que este texto é destinado a cristãos bíblicos e maduros que entend...

.

.

.

.

.

Nilson (Nil) Pereira

Nilson (Nil) Pereira
Um Discípulo Professor vivendo para ser Bíblico e Missional, Pastor de Família e Escritor Amador.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Ui, te machuquei? foi mal!

Ui, te machuquei? foi mal
Sempre preferi escrever textos sobre espiritualidade e reflexões sobre a vida, mas de um tempo para cá tenho observado com mais atenção os relacionamentos pessoais, amorosos, de amigos e com Deus.
A forma como você se relaciona com pessoas diz muito sobre você. A forma como você se relaciona com pessoas, diz muito da forma como Deus vê você.
Não existe isso de ter um ótimo relacionamento com Deus e um péssimo relacionamento com meu próximo. Só há relacionamento com Deus se existe uma boa convivência com meu irmão.
Com o passar dos anos e com as pedradas que levamos, acabamos nos tornando pessoas rasas, superficiais. Amamos e desamamos como se fosse a coisa mais comum de todas.
Descobrimos um novo melhor amigo a cada momento e deixamos de lado alguém simplesmente por que não concordamos com algum comentário. Isso não é se relacionar!
Imagina se Deus desistisse de nós cada vez que o decepcionássemos?
Magoamos e ofendemos pessoas, mas como não sentimos as dores delas, exclamamos um simples: “Ui, te machuquei, foi mal!” e continuamos a vida como se nada estivesse acontecendo. Do outro lado um coração sangra, alguém ferido ajunta os cacos e tenta sobreviver, enquanto nós caminhamos dizendo o “quanto amamos a Deus.”
Posso repetir?
Não existe isso de ter um ótimo relacionamento com Deus e um péssimo relacionamento com meu próximo. Só há relacionamento com Deus se existe uma boa convivência com meu irmão.
João, um discípulo que realmente sabia de relacionamentos, pois era o mais próximo de todos de Jesus, a ponto de Jesus reclinar a cabeça em seu ombro, disse assim: “Aquele que diz que está na luz, e odeia a seu irmão, continua nas trevas.”1 João 2:9
Ui, forte esse texto ein? Quer andar na luz? Ame seu irmão!
Ao vivermos essa onda do desapego, onde tudo e todos são descartáveis, temos relacionamentos superficiais com familiares, relacionamentos rasos com amigos e uma trágica história de relacionamentos frustrantes com namoradas(os).
As pessoas não são substituíveis. Não há ninguém no mundo inteiro como eu e você. Somos únicos e especiais da forma que somos e altamente amados por um Deus que nos fez, nos amou e não nos trata como tratamos os outros. Já imaginou se fossemos pagos na mesma moeda?
Pense em quantas pessoas já passaram na sua vida e você não tem mais contato. Quantos amores eternos e quantos melhores amigos que nem se sabe mais onde moram. O Senhor quer se relacionar conosco e nos dá uma formula bem antiga e importante de ser aprendida:
Se alguém afirmar: "Eu amo a Deus", mas odiar seu irmão, é mentiroso, pois quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. 1 João 4:20
Vamos mudar? Vamos mostrar ao mundo a nossa diferença começando por investir em relacionamentos. Diga ao seu amigo/parente/marido o quanto ele é especial e o quanto você lutará por manter essa comunhão.
Quando investimos em pessoas, saramos corações feridos. Reconstruímos histórias e geramos um mundo melhor.
E que o Senhor nos ajude.
Na paz d’Aquele que é fiel a Sua Palavra e nos permite escrever e ler textos sobre Seu amor.
Felipe Heiderich

Pastor e apresentador de TV


http://euescolhiesperar.com/artigos/ui-te-machuquei-foi-mal



http://loucosporjesusemacao.blogspot.com/2012/01/ui-te-machuquei-foi-mal.html

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Justificação e misericórdia perante o erro humano.


''Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço.

Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim.

Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo.

Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus;

Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros.

Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?

Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado. ''

Romanos 7:19-25

Existem momentos que até você mesmo se acha um caso perdido. Existem dias que você deseja não ter existido,deseja que Jesus te leve,salvo,mas fora deste planeta.

Existem momento que parece que você vive a pior situação da história da sua vida,que você gostaria de abandoná-la,de deixar de viver sua própria história. Mas é impossível viver algo que seja rotulado como o ''pior da sua vida'' se você caminha com Cristo agora.

Os cristãos,por mais que digam que entendem,não entendem de fato porque passam por provações fortes,por momentos terríveis de aflição,dor,culpa,tristeza,caminhando sim a beira da morte.

Não,definitivamente não me refiro aos casos de desvio psicológico,onde as pessoas por uma simples dor,por uma decepção causada por motivo irrisório,ou mesmo por erros conscientes,onde,intelectualmente de antemão já se propõe a pagar o preço do ato.

Me refiro a gente que erra desejando acertar,me refiro a gente que,como diz o texto bíblico,quer fazer o bem,mas o bem que se quer,não se faz,mas sim o mal que não se quer realizar.

Aqueles que não adotam o Cristianismo como estilo de vida não entendem como isto é possível,fazer mal querendo fazer bem,não entendem e rotulam o cristão que assim age como ''mal caráter'',como ''ciníco'',como ''falso'',afinal,como diz o ditado popular,''de boas intenções o inferno está cheio''. Pessoas que estão anestesiadas,com a mente e o coração tomadas pela tal ''maldade '' que os pais ensinam desde de crianças,afinal,esta é a única forma de sobreviver neste mundo de espertos e de gente falsa e traçoeira. Gente que teatralmente se finge de cordeiro,mas na essência é lobo. Por uma série de fatores que não convém tratar aqui,se tornaram lobos. As pessoas perderam o sentido intelectual das coisas.

Um homem espiritual,que tudo discerne,e não é discernido ( ICo 2:14-15),é perfeitamente claro a diferença dos erros de cordeiros e lobos,pelo simples fato de que o lobo erra com perfeição,já o cordeiro erra de forma imperfeita,mas o seu Pastor o justifica sempre. Foi assim com Abraão,o mentiroso,Jacó,o enganador,Moisés,o tímido covarde,Davi o adúltero e assasino,Salomão,o sábio imoral,Isaías,o desbocado,Jeremias e Elias,os covardes,Pedro,o traidor,Paulo,o perseguidor,Lutero,o rebelde.

Erros são erros e pronto,não importa quem o tenha cometido,e em qual circunstância não é mesmo?

Nestas horas,lendo este tipo de afirmação,sai do fundo do mais íntimo do meu coração,um grito de adoração ao Deus Altíssimo,pelo simples fato Dele não ser humano. Dele ser perfeito. Dele amar tanto a podre humanidade,onde mesmo os escolhidos para a salvação,podem ser adjetivados com a estirpe já citada anteriormente.

Não são a falta de erros que credencia alguém para Cristo,mas sim,o ato de permitir que Ele recicle sua vida,de Glória em Glória,como diz a Palavra. Deus é diferente de tudo o que existe,de tudo que reflete,de tudo que vive. Se não fosse assim,toda a humanidade estaria perdida,estaria sem fim,estaria condenada sobres seus próprios julgamentos.

No julgamento real e celeste,onde Deus é o Justo Juiz,Cristo,o Advogado de nossas almas,e Satanás,o promotor acusador,a intenção do coração é sim,fortemente levada em conta.

Afinal,como diz na canôn bíblico,um destes homens inspirados por Deus,mas pecador em vida,Salomão:

Não Sejas Demasiadamente Justo, Nem Demasiadamente Sábio; Por Que Te Destruirias A Ti Mesmo? (Eclesiastes 7:16)

Termino este breve artigo,utilizando um igualmente breve comentário sobre Deus e sua misericórida,e sua relação com o erro humano. Que Deus nos abençoe,e obrigado Senhor,por jamais mudar.



A misericórdia de Deus

Nenhum homem merece a misericórdia de Deus. Nenhum homem pode reclamar a misericórdia de Deus por mérito. As Escrituras concluem: “... pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23).

As Escrituras do Velho Testamento mostram repetidamente os pecados do povo com afirmações tais como “nós pecamos,” “eu pequei” e “pecamos contra o Senhor”. João diz: “Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós” (1 João 1:10). E nos é dito, “Aquele que pratica o pecado procede do diabo, porque o diabo vive pecando desde o princípio” (1 João 3:8).

O pecado é definido como “transgressão da lei” de Deus, revelada nas Escrituras (1 João 3:4). O povo do Velho Testamento tinha uma lei, dada por Deus através de Moisés e dos profetas. Ninguém guardou a lei, e pecou ao transgredi-la. O povo, agora, vive sob a lei do Novo Testamento dada por Deus através de Cristo, do Espírito e dos apóstolos. Quando deixamos de segui-la, pecamos, ao transgredi-la.

Tiago conta-nos os passos que conduzem ao pecado. “Ao contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte” (Tiago 1:14-15). O homem peca porque deixa de resistir às tentações do diabo e, assim fazendo, viola a lei de Deus.

Este processo de sedução começou com o primeiro homem e a primeira mulher, pelo diabo (Gênesis 2:3), e continua até o dia presente. O homem foi, e é, culpado diante de Deus, e Paulo diz, “... naquele tempo, estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança e sem Deus no mundo” (Efésios 2:12).

Você percebe por que precisamos apreciar a misericórdia de Deus? O homem não tinha esperança de nada além da culpa do pecado. Ele era impotente para livrar-se do pecado porque não podia resistir às tentações do diabo. “Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira” (Romanos 5:8-9). É-nos dito que, sob a nova aliança, “... para com as suas iniqüidades, usarei de misericórdia e dos seus pecados jamais me lembrarei” (Hebreus 8:12). Agradeçamos a Deus por sua misericórdia. Mas lembremo-nos que ainda que agora tenhamos esperança através de sua misericórdia em Cristo, ainda podemos pecar. A misericórdia de Deus não é incondicional. Assim como mostrou misericórdia a Israel e depois tirou-a, por causa da desobediência, ele nos promete o mesmo.

Porque, se vivermos deliberadamente em pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados; pelo contrário, certa expectação horrível de juízo e fogo vingador prestes a consumir os adversários. Sem misericórdia morre pelo depoimento de duas ou três testemunhas quem tiver rejeitado a lei de Moisés. De quanto mais severo castigo julgais vós será considerado digno aquele que calcou aos pés o Filho de Deus, e profanou o sangue da aliança com o qual foi santificado, e ultrajou o Espírito da graça? Ora, nós conhecemos aquele que disse: A mim pertence a vingança; eu retribuirei. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo. Horrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo” (Hebreus 10:26-31).

Conhecendo a misericórdia de Deus, bem como nossa fraqueza da carne, advertimos a todos: “... guardai-vos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo, para a vida eterna” (Judas 1:21), e a que “Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna” (Hebreus 4:16).

– por Jack Glover.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Intolerância x Sucesso sentimental.


Vivemos em um mundo cujo a intolerância com o próximo é o fator que toma conta da sociedade.

Não me refiro somente ao evidente,casos de pessoas sendo descriminadas por raça,credo ou opção sexual,mas sim,também aos casos de pessoas que convivem umas com as outras.

Nunca na História humana os índices de divórcio foram tão grandes,nunca filhos e pais travaram tantos conflitos de forma oficial,inclusive com casos de mortes.

As pessoas estão perdendo a paciência e a fé uma nas outras. Os maiores casais cujo já ouvi a história,superaram crises,obstáculos que a grande maioria dos que se relacionam não teria o mínimo de tolerância.

Como a Bíblia insinua,nada que não seja provado(muitas vezes reprovado,para depois ser aprovado),pode ser confirmado como algo genuinamente da parte de Deus.

O próprio Jesus foi provado,e muitos,sem saber que se tratava Dele,iriam reprová-lo como Salvador pelo episódio do Jardim do Getsêmani(Jo 17:20-21).

Como se diz no ditado popular,não existe jóia feita a base de diamante ou ouro que não passe pelo fogo,pelas marteladas,que muitas vezes é necessário refazer a jóia. O que existe,são diamanates e pepitas de ouro encontradas em estado bruto na natureza,onde se consegue enxergar a jóia que podem se tornar em potencial.

É assim que Deus escolhe um cônjuge,ou pais,ou amizades,verificando o estado bruto destas coisas,e projetando as jóias que podem dar,nunca deixando de pô-los a prova,passando por reprovações e pela esperada e decisiva aprovação divina e humana.

Muitos relacionamentos se perdem por conta da intolerância,e eu,particularmente nunca vi alguém que tenha perdido a paciência ou a fé no conjuge da sua vida,pai ou mãe que consiga ser feliz longe destes,com outra pessoa.

Daí,teríamos que discutir o que de fato é ser feliz,o que não vem ao caso agora,pois para mim,feliz é o que compartilha um estado de espírito,desejo e exatidão,razão e emoção,crescimento e tolerância,e claro fé e o amor.

Sou dos que acham que é muito melhor investir em quem se ama,tentar,perdoar,compartilhar,até que a pessoa amada esteja no nível que se espera(pois se o amor é recípocro,e se este tal ''nível'' tenha de fato a ver com a proposta de Deus para a pessoa amada,a fazendo crescer e ser alguém melhor,do que desistir,tentar uma outra pessoa,por mais maravilhosa que esta seja.

Como ensino porque Deus me ensinou um dia:'' Não basta ser de Deus,tem que ser de Deus para você''.

Perdão,superação,conquista depois de derrotas,investir em pessoas,amor,são atributos dos mais nobres de um ser humano,mas é uma pena que a maioria prefere o mais fácil,chutar toda uma estrutura e história,desistir de pessoas,ao invés de continuar a investir,é mais fácil tentar a vida toda,do que encarar uma situação e vencê-la.

Todos querem glórias e sucesso sentimental,mas poucos querem lutar até o fim,lutar não importa o tamanho do desafio.

Nunca vi um vencedor legítimo sem derrotas,sem estratégias,paciência,sem cicatrizes e superação,a chamada ''volta por cima''.

Não se tem o prazer do amor sem a dor da insistência. Infelizmente,a sociedade da geração ''fast-food',levanta esta bandeira até(e principalmente) no que diz respeito aos seus relacionamentos humanos.

Crises são atributos de oportunidades,são combustíveis da vitória definitiva,pena que muitos preferem usá-las como pretexto para fazer o comum,o mais fácil,recomeçar.

Muitas histórias poderiam ser diferentes,mais cheias de vida,mais cheias de Deus,se houvesse mais luta,mais paciência,mais compromisso.


Relacionamento sempre foi,e sempre será movido a bases de arranhões e conflitos,por sermos todos humanos e imperfeitos,por mais maravilhosa que seja a pessoa na qual você se realacione,isto é um fato. De Deus é o relacionamento que mesmo com tudo isso,há crescimento,companheirismo,atenção,suporte,amizade e amor.


Que o Deus Altíssimo levante uma geração cujo a paciência faça com que muitos sejam alcançados ou aperfeiçoados por Ele,por estaram noivos ou casados com alguém,por conviverem com os pais mesmo com os conflitos,ou com a atenção que só um amigo dá ao outro, por mais chatas que sejam as partes.

Ass: Nilson Pereira.

Verdadeiro Cristianismo:

Verdadeiro Cristianismo: